Ultimamente, tem se falado cada vez mais da cirurgia híbrida (o uso da gordura para o aperfeiçoamento da cirurgia mamária). O enxerto de gordura ou lipoenxertia já é utilizado em cirurgia plástica há muito tempo. Consiste basicamente da coleta de células de gordura através da técnica de lipoaspiração já consagrada, para a transferência desta gordura da própria paciente para algum local que necessite um aumento de volume.

Na cirurgia de mama, essa técnica vem sendo empregada na reconstrução de mama com muito sucesso, e torna-se imprescindível em muitos casos complexos. Porém, há uma tendência mundial na utilização da gordura também em casos estéticos. O termo cirurgia híbrida de mama é utilizado para as cirurgias que combinam a inserção da prótese de mama com a lipoenxertia associada.

A indicação mais frequente é quando a paciente apresenta uma falta de tecido cutâneo na região do tronco e da mama, o que com a colocação da prótese de mama, deixaria esta muito evidente e com aspecto artificial. Desta forma, ao associar o emprego da enxertia de gordura, conseguimos alcançar um espessamento desse tecido, o que ajuda a “camuflar”a prótese colocada abaixo, tornando o resultado estético muito mais natural e agradável ao toque. Após uma consulta e exame físico, o cirurgião vai conseguir avaliar se essa técnica está indicada para o seu caso.

Dra. Sheila Mulatti – Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica